Evento reuniu autoridades de Estado e representantes de diversas áreas ligadas a recursos hídricos.

Na noite deste domingo, 03, o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF) em parceria com o Fórum de Pesquisadores de Instituições de Ensino Superior da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco, realiza o II Simpósio da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (SBHSF). A abertura oficial do evento aconteceu no auditório do Hotel do SESC Atalaia, em Aracaju e a programação se estende até o dia 6, na Universidade Federal de Sergipe.

Há meia década, o CBHSF comemora o Dia Nacional em Defesa do Rio São Francisco, celebrado todo dia 3 de junho. A campanha que foi lançada em 2014, “Eu viro carranca pra defender o Velho Chico”, se propõe a despertar uma conscientização ativa em toda população no tocante a preservação do rio, além de inspirá-la a mobilizarem-se pelo uso responsável das águas do Velho Chico.

Nesta nova edição o tema escolhido para o II Simpósio foi “Desafios da Ciência para um novo Velho Chico”. O evento vai permear cinco eixos temáticos: Governança, Qualidade e Quantidade da água, Conservação e Recuperação Ambiental, Dimensão Social e Dimensão Saúde. Essas perspectivas escolhidas visam estabelecer o estado atual do conhecimento sobre esse rio de extrema importância nacional. Durante toda a programação os participantes vão poder conferir diversas manifestações culturais.

A cerimônia de abertura foi aberta pelo Magnífico Reitor da Universidade de Sergipe, o professor Dr. Ângelo Antonioni, que reforçou o compromisso da importância da união entre a comunidade acadêmica e a sociedade civil, ambas na busca do conhecimento. “Nesta noite, recebemos todos vocês com muito orgulho, esperamos que a cada dia se faça necessário, que as universidades se debrucem sobre as pesquisas, para que uma nova direção e sentido possam ser encontrados, visando a preservação do meio ambiente. Desejamos um grande encontro e que possamos compartilhar saberes, o rio precisa ser preservado e estamos juntos nesta luta”.

O presidente do CBHSF, Anivaldo Miranda, também fez uso da palavra e trouxe uma reflexão necessária a todos os presentes. “É um prazer estar aqui neste momento e nesta hora, esse é um momento de felicidade, o qual precisamos comemorar. Espero que todos possam participar entusiasmadamente desses dias que virão, pois esse é um grande esforço que estamos fazendo. O objetivo do CBHSF é ser um “ator casamenteiro”, somos uma espécie de “cupido”, pois atuamos em diversos segmentos visando o desenvolvimento da bacia. Inclusive, o Comitê já fez o casamento entre os Procuradores da República e todos aqueles que necessitam do rio. A FPI é uma prova disso, pois ela tem um caráter pedagógico, mas também chega para coagir os crimes ambientais. Nós também reunimos os outros Comitês ao longo de todo o São Francisco, seus afluentes tão importantes, uma grande família de fato. É uma sinfonia que precisa ser orquestrada, para que possamos conquistar o som da água limpa”.

“Temos um grande desafio em vista, precisamos deixar de assar e comer, para planejarmos e conquistar, não podemos deixar de dar continuidade as coisas. A melhor forma de combater os conflitos do uso das águas, é planejando. Se desejamos um futuro de bem estar, devemos pensar como podemos conquistar isso. Estamos juntando a inteligência das universidades, poder público e sociedade civil, para juntos, conhecermos o contexto das águas subterrâneas, a fim de conquistarmos um novo tempo. Ao longo da semana teremos a oportunidade de acumular experiências e criar essa comunidade de interesses. Quero em nome do CBHSF agradecer a todos pelo apoio e ao Estado de Sergipe, e também desejo um grande evento, repleto de estreitamento de relações. O rio não é um canal de cimento, mas um canal de ecossistemas”, finaliza o presidente.

A importância da governança ficou explicita no discurso do coordenador geral do evento, Inajá Francisco de Souza. “Esse simpósio veio para ficar, pois as pesquisas estão se desenvolvendo. O rio São Francisco impõe um grande desafio, sua governança, o que pede uma gerência de demandas dos recursos hídricos, por isso estamos nos unindo ao conhecimento cientifico. Hoje se faz necessário que a sociedade se articule com a sociedade civil, isso é urgente”.

Presidente do CBHSF, Anivaldo Miranda (à esquerda) e Professor Inajá Francisco (à direita).

O Governo do Estado de Sergipe foi representado pelo Secretário de Estado de Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, Olivier Ferreira das Chagas. “O Estado de Sergipe tem grande satisfação em apoiar e participar de um evento como esse. Precisamos dar um tratamento digno ao rio, que simboliza vida e futuro. Desejo um evento incrível e que possamos produzir muito conhecimento para encontrarmos novas estratégias”.

Outro grande entusiasta em defesa do Rio São Francisco é o Magnífico Reitor da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), Julianeli Tolentino de Lima, que deixou claro seu contentamento com a realização do evento. Tenho certeza que esse evento será consolidado, vindo novas edições no futuro, e que ele seja sempre abrigado por uma das nossas instituições de ensino na bacia hidrográfica. Quero parabenizar o nosso presidente Anivaldo, por sua visão estratégica em reunir o universo acadêmico nessa luta pela preservação do Rio São Francisco, gerando a sustentabilidade das águas. Hoje nós temos muita clareza, que o Rio é um grande responsável pelo desenvolvimento das regiões, as quais ele passa. Precisamos de muita integração entre a comunidade científica e a sociedade civil, para que juntos possamos pensar em oportunidades de mudarmos a realidade atual. Desejamos ampliar cada vez mais o contingente de pessoas interessadas em melhorar a qualidade do nosso rio e das pessoas que dele dependem”.

O presidente da Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso), Gabriel Almeida de Campos, trouxe um alerta importante para a noite de abertura. “Possuímos a percepção que a maior barreira que vamos enfrentar é a capacidade hídrica para abastecer as comunidades, por isso se faz necessários eventos como esses, para discutirmos temas que venha a reverter o quadro de degradação que o rio vem sofrendo. Esse Simpósio é de grande importância, pois nos permite estreitar as relações e nos unirmos em um só objetivo, a preservação do Velho Chico”.

Outras presenças também foram registradas: representante da Ordem dos Advogados de Sergipe (OAB) e coordenador da Câmara Consultiva do Baixo São Francisco, Holney Gama, deputado estadual Francisco Gualberto, vereador Dalmo Bezerra, deputada estadual Ana Lucia e o vice-presidente do CBHSF, Maciel Oliveira.

A noite de abertura contou com aproximadamente 400 participantes e reuniu pesquisadores, técnicos de órgãos que lidam com recursos hídricos e representantes de comunidades, associações e cooperativas. A programação ao longo da semana será composta por apresentações orais, painéis, palestras, conferências, mesas redondas, visitas técnicas e culturais, exposições, reuniões temáticas e minicursos. Além de contar com a participação de palestrantes nacionais e internacionais. A cerimônia foi encerrada com a apresentação da Orquestra Coutto, que faz parte da nova safra da música instrumental do Nordeste.

Confira a programação completa aqui: http://sbhsf.com.br

Veja as fotos da solenidade:

<a href="https://flic.kr/s/aHsmmMbp8D" target="_blank">Click to View</a>

Dia Nacional em Defesa do Rio São Francisco

O Dia Nacional em Defesa do Rio São Francisco é uma iniciativa do Comitê da Bacia Hidrográfica do São Francisco e propõe que o dia 3 de junho seja de mobilizações simultâneas em toda a extensão da bacia, alertando a todos para a necessidade de revitalização do rio. Para mais informações sobre a campanha, acesse: http://virecarranca.com.br

O CBHSF

A Bacia do Rio São Francisco abrange 505 municípios em seis estados (Minas Gerais, Goiás, Bahia, Pernambuco, Sergipe e Alagoas) e o Distrito Federal. O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco é um órgão colegiado, integrado pelo poder público, sociedade civil e empresas usuárias de água, que tem por finalidade realizar a gestão descentralizada e participativa dos recursos hídricos da bacia, na perspectiva de proteger os seus mananciais e contribuir para o seu desenvolvimento sustentável. Para tanto, o governo federal lhe conferiu atribuições normativas, deliberativas e consultivas. Saiba mais em: www.cbhsaofrancisco.org.br

Confira mais fotos do evento:

<a href="https://flic.kr/s/aHsmkUTUg1" target="_blank">Click to View</a>

*Texto: Vitor Luz
*Fotos: Edson Oliveira e Ohana Padilha

Categorias: Notícias

Posts Relacionados

Notícias

II SBHSF termina com saldo positivo

Evento contou com a participação de aproximadamente 400 pessoas. O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF) realizou o II Simpósio da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (II SBHSF), que aconteceu no Leia mais…

Notícias

II SBHSF é encerrado com a mesa Qualidade e Quantidade de Água

Após quatro dias repletos de muito conteúdo e reflexões, o II Simpósio da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (II SBHSF) chega ao fim e promove mesa redonda sobre Qualidade e Quantidade de Água. Minicursos Leia mais…

Notícias

Qualidade de Vida e Saúde é tema da segunda mesa redonda desta terça-feira

Pesquisadores de Alagoas e Sergipe se encontram para debater assuntos importantes. Em seu terceiro dia, o II Simpósio da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (II SBHSF) já proporcionou a seus convidados e participantes uma Leia mais…